Postagens

Mostrando postagens de Março, 2011

Seguir sem parar

Imagem
Caminhando eu vou
e nada vai me segurar.
Nem sei mesmo quando
ou onde vou parar.
Vejo o belo, vejo o tudo.
O importante é que vejo
Na verdade, estou só começando,
e como todo começo
o meu fim está longe
muito longe.
Não me imagino parando aqui
e gostaria de seguir muito
mais que o além.
Também não posso me furtar
de demonstrar a minha falta de esperança,
as mudanças de planos,
a rota do acontecimento
no meu quarto escuro.
Mas não vamos pensar nisso agora.
Viva, esse é o ideal.


Fátima, 2003. Uma relembrança hoje deste poema que criei na minha fase Surrealista com grande inspiração na intensa e muito linda vida da artísta plástica Frida Kahlo.

O destino

Floresta de triste (esqueléticas) árvores
calda de dragão em lobo
dentes de vampiro em ganso
chuva de mulheres-vacas
e mãos de pinguins

Esse sonho de realidades
que implantou-se na minha mente
sem a razão dos ambientes escuros
cheios de pessoas que não fazem coisa alguma
e que fazem os seus mundos

Algumas tão calmas,
outras tão revoltosas
e todos despidos em seus espíritos

Arara que rasteja no lago
vai buscar no fundo do mar
o boi que vai me salvar.

(Baseado no quadro de Victor Brauner "Fascinação")

Escrito em 11 de 2002

Pensamento do dia....

"No princípio era o Verbo... É o pensamento que tudo cria e produz? Seria preciso pôr: No princípio era a Força... O espírito vem em meu auxílio! Vejo de súbito a solução e escrevo com segurança: No princípio era a Ação."

Goethe

Noite do prazer

Dorme a minha querida
que sonha com a morte a te seduzir
rodeada de nuas belas desesperadas
com sua vida em sono.

Despida pelo calor de um cobertor
em sangrentos rachaduras
de sua pele
que floresce para a lua.

Lua esta, tão seduzida
pelas pernas das damas
que se envolvem enlouquecidas
em esqueletos tão sedentos de prazer
.
Em uma cidade fantasma
tão clara quanto a noite
tão viva quanto a noite
tão bela quanto as baratas que tu beijas.

(Baseado no quadro de Paul Delvaux - "Vênus Adormecida")
11/2002