Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2011

nescau e leite condensado

hoje foi o pior brigadeirão que comi até o momento. me senti comendo cimento. tava até gostoso, eu sei fazer brigadeiros, mas a dor no meu peito enjoou meu estômago. queria apagar este sofrivel carma ou pensamento: amor. estou mesmo é no aguardo do meu juizo final... por enquanto vamos ao cinema, almocemos só, compremos sapatos de grife e ganhemos um dinheiro mais que suado. não me reconheço mais!

Poesia III

Os pássaros cantando
o sol, nascendo
as árvores balançando com o vento

florescendo o meu sentimento
de amor eterno.

Fátima dos Santos, 2003.

Poesia II

Se há de ser paixão o que sinto (por ele)
Que seja provisório,
porque cada vez que penso (nele)
meu peito pega fogo.

Mil agrados acho nele
mil defeitos boto em mim
quem me dera vê-lo para sempre
Ao meu lado até o fim.

2003, ano de abismos.

Poesia (leve)

Pousa peso leve
que passa parando a avenida
protesta os pesares do povo
pisando no chão da paulista.
Pergunta pela paixão
prosando com os pássaros
pedindo ao Pelé-mané
se permite lhe dar um abraço.
Parece até poesia
propositada rima por rima
Não passa de pura preguiça
e disposição
que há nessa terra.



Fátima dos Santos, 2002.