Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2008

Sapato Estragado

A Ceau Brasil

Vai
Leva o que é seu
Reproduz as práticas teóricas
Que me fez padecer.
Aposto que tens muito orgulho das suas
Condessas, cortesãs e senhoras
Sou apenas um lencinho para
Os momentos de amplidão
Amplidão do Não alheio.
Que triste fim de um cristão!
Rezar os infernos dos caminhos de outrem
E cavar a própria sepultura.
Não fique assim.
A febre vai passar
As vespas senhoras, cortesãs, condessas
Vão voltar
E eu... oh meu rapaz!
Não sairei daqui
Sou um xaxim para você, água
Um peixe para tu, mar
Um raio para mim, céu
A dependência é lei natural
Mas quero ter mais do que
Um palácio de mirra e ouro
Nas ilhas canárias.
Quero um lençol quente nos dias de frio

Relógio

Bate mais uma vez
Um coração cansado
Cansado de bater.

O cansaço que toma
Conta do corpo maltrapilho
Que não faz questão alguma

De viver, de sonhar,
De pensar nos dias por vir
Ou por findar.

Imaginemos um samurai
Sem a sua espada em
Dia de luta

Ele não está perdido
Pois tem o corpo
Tem o poder
Tem o coração.

Este é sem dúvida uma das
Melhores armas do mundo.
Vence até o próprio dono

Não estou aqui para
Falar de coração
Ou muito menos de corpo.

Não, talvez esteja sim.
Começaremos do final
Cuja a tendencia é
Resgatar o princípio

Sem nenhum escrúpilo
Sem nenhuma mancha
Ou sombra de dúvida.

Estou pronto para aliançar
As forças do universo;
Mas quem sou eu?

Eu? Eu sou deus.
Não, eu sou ateu.
Não, eu sou eros
Não existe coisa melhor.

Escolherei o meu amor
Os falsos e eternos amores
E minha mãe que tente
Me impedir de tal façanha...!
(sou afrodite!)

Procuro no inferno
A tua salvação.
Sim, isto mesmo.

Vejo que o céu não
É o seu lugar e sendo assim,
Só há uma maneira:
Chamar alá para decidir.

Não me agradeça, pois
Já esqueci o motivo
Do agrad…

Dias

Dias e dias se passam
conhece-se mais dias e pessoas
mas esse passar
não levam o que há de lindo
e importante, e sim,
trazem o que há de essencial
e verdadeiro na vida.